quinta-feira, 11 de julho de 2013

O "quartinho da empregada"

Na coluna do jornalista Ancelmo Gois do jornal O Globo desta quinta-feira, dia 11/10, saiu uma interessante nota sobre o Fluminense. Na verdade, a nota é subdividida em duas. A primeira é intitulada Fla X Flu. E a segunda Mas... Veja abaixo a nota na íntegra:


Talvez só para implicar com o Flamengo, o Fluminense, neste acordo com o Maracanã, tentou que sua torcida ficasse sempre à esquerda das antigas cabines de rádio.

É que este espaço sempre foi o lado fixo da torcida rubro-negra no Maraca.

MAS...

O tricolor vai ficar com o lado direito das arquibancadas para sua torcida.
O consórcio Maracanã não quer desagradar ao Flamengo em meio à discussão do contrato com os rubro-negros.



Se o descrito na nota vier a se configurar como fato (o que é possível) vale fazer algumas reflexões. Pelo que está sendo divulgado pela atual diretoria tricolor, o Fluminense está voltando para casa. Mas na nossa casa nós sentamos onde queremos. E não onde mandam que nós fiquemos sentados.

Já foi divulgado que as áreas Vips, 100% da arrecadação com camarotes, bares, restaurantes, lojas e estacionamentos ficarão para o consórcio. E que só ficarão com o Fluminense os locais atrás dos gols e escanteios. Ou seja, o ‘filé’ da "nossa casa"a sala de frente para o mar, as suítes, a ampla cozinha, o banheiro, as vagas na garagemnão é nosso. É do PATRÃO.  

Será que essa “nossa casa” é “nossa casa” mesmo??? Como imaginar que estamos voltando para casa, se o consórcio Maracanã privilegia locais no estádio para outro inquilino que ainda nem chegou??? Pelo visto, este outro inquilino está sabendo endurecer a negociação e sabendo valorizar-se. Se ele ainda nem chegou, mas o consórcio já preserva até locais na “nossa casa” para ele. Será que essa “nossa casa” é “nossa casa” mesmo ou apenas o “quartinho da empregada”???

5 comentários:

  1. Lembro que na era horcades, eles acharam um absurdo a possibilidade dele renovar o contrato com a adidas antes das eleições e reclamam até hoje do contrato assinado com a traffic depois dela, agora não tiveram vergonha de assinar um contrato de 35 anos as vésperas da eleição, o pior é que o histórico deles negociando contratos é péssimo para o Fluminense, vide adidas e rede globo, mas parece que para eles é bom, espero que os próximos dirigentes verifiquem bem todos esses contratos. A minha opinião é que esse contrato é ruim, não podíamos abrir mão dos ingressos, isso era o mínimo aceitável.

    ResponderExcluir
  2. Conselheiro (INFELIZMENTE) Claudio Ramos11 de julho de 2013 15:10

    Quando eu for ao Maracanã ver o meu querido FLUMINENSE jogar, vou comprar ingressos no vizinho, pois não gosto de assistir jogos atrás dos gols, vou assistir aonde gosto e posso pagar. Isso se o fRamengo deixar é claro !!!

    ResponderExcluir
  3. Paulo Cesar Studart11 de julho de 2013 15:37

    Caro Eduardo e amigos:
    Novamente o Conselho Deliberativo foi violentamente atropelado. Uma negociação de 35 anos, com essa importância, não poderia ser efetuada sem a anuência do Conselho até mesmo para resguardar quem fez o acordo.
    Os clubes são os verdadeiros protagonistas do espetáculo de futebol. Sem os clubes o Maracanã não serve para nada.
    Será que isso foi levado em consideração?
    O consórcio que utilizou dinheiro público via BNDES, para a construção do estádio, ficará com a parte do leão.
    Nesse contrato de 35 anos existem cláusulas de repactuação periódicas?
    Teremos algum dia participação na renda dos inúmeros negócios que o Maracanã gerará ou ficaremos contentes apenas com a renda das cadeiras que ocuparemos atrás do gol (dos jogos que efetuarmos), a cessão de dois camarotes e de um vestiário arrumadinho?
    Os outros clubes foram contatados? Parece-me que o poder de barganha dos clubes seria muito mais forte junto ao consórcio se os clubes estivessem unidos.
    O Fluminense fechando acordo de afogadilho certamente servirá de escada e balão de ensaio para os demais clubes.
    Eu garanto que o Flamengo em sua negociação levará grande vantagem em relação ao Fluminense.
    No geral, demos uma demonstração de fraqueza e que estamos de pires na mão.
    Do jeito que a coisa foi feita, a transparência do acordo foi zero e mais uma vez, o autoritarismo e a truculência prevaleceram.
    Saudações Tricolores
    Paulo Cesar Studart

    ResponderExcluir
  4. Prezados

    Depois do brilhante comentário do Paulo Studart, só me resta ratificar suas palavras!

    TRANSPARÊNCIA JÁ!

    Saudações (hoje tristes) TETRACOLORES
    Antonio Gonzalez

    ResponderExcluir
  5. Perfeita a colocação do nosso ilustre tricolor e companheiro Paulo Studart, nesse caso o Conselho Deliberativo do Fluminense, não é tão soberano assim de acordo com a visão dos que aí estão.
    Fica aqui outra dúvida com relação a atuação do Cdel,se alguém estatutariamente puder me explicar ,desde já ficarei muito grato, apesar de ser conselheiro do clube, confesso não saber interpretar dentro do estatuto, apesar de ter lido alguns pontos do estatuto não achei ou posso ter passado despercebido, razão pela qual passo a perguntar a algum companheiro tricolor, no paragrafo abaixo, acreditando que seja tambem a dúvida de tantos outros apaixonados pelo Fluminense.
    Gostaria de saber, por ouvir falar, caso se confirme a intenção de dar o nome do Sr. Celso Barros, nada contra a pessoa deste senhor como torcedor tricolor e Presidente da Empresa Unimed que patrocina (investe financeiramente) na "grande marca" Fluminense Footbal Clube, tenho certeza ser ele e a empresa muito importante para o clube, mas acredito haver tantos outros torcedores credenciados a concorrer a este reconhecimento, que seria decidido democraticamente através de uma votação oficializada entre os sócios em geral, Grandes Beneméritos, Beneméritos, Conselheiros, mesmo porque o Sr. Celso Barros,entendo ser um funcionário da empresa, e por coincidência é torcedor do Fluminense,e se não o fosse, diante disso, aí sim, daria-se nome, que será eternizado, ao futuro Centro de Treinamento do Fluminense, que será ou estaria sendo construído em um terreno na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro.
    Se é correto esta intenção ser definida e decidida sem antes passar pelo crivo do Conselho Deliberativo do nosso amado Clube e se esta intenção seria avaliada pelo alto grau do senhor Celso Barros,como torcedor apaixonado pelo clube, se é que me fiz entender, ou pelo fato de relação de negócios empresarial, baseado nos resultados alcançados entre Fluminense e Unimed, o que reconheço ser o senhor Celso Barros um grande representante da Unimed nesta interação, mesmo porque uma vez decido não convém no futuro tentar mudar o nome CT, no minímo seria deselegante a nossa Intituição, Qual a definição para tudo isso?

    Eduardo Ferreira
    Conselheiro Eleito 2011/2013 do Fluminense Footbal Clube.

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO COMENTÁRIO! SE QUISER PARTICIPAR DE NOSSOS EVENTOS, SORTEIOS E BOLETINS, BASTA ENVIAR UM EMAIL PARA A CONTA CIDADAOFLU@GMAIL.COM