terça-feira, 18 de agosto de 2009

BRASIL 4 X 3 EUA - 17/08/1930

No intuito de colaborar para o aumento do conhecimento de nossa história, o “CIDADÃO FLUMINENSE” lembra a passagem de uma data que não deveria ser esquecida por nenhum tricolor e que deveria ser explorada por nossa diretoria (mas, isso já é pedir muito). No dia 17 de agosto de 1930 realizou-se “o primeiro confronto” da história, entre a Seleção do Brasil e a seleção da maior potência econômica e militar do mundo no século XX, os Estados Unidos da América.

O local desta histórica partida não poderia ser outro, que não fosse o nosso lendário e histórico “ESTÁDIO DAS LARANJEIRAS”. Brasil e EUA entraram no gramado das Laranjeiras para se confrontarem pela primeira vez diante de um público de 16.500 pagantes. O Brasil vestia camisa branca, calção azul e meias pretas.

Os EUA vinham de uma boa campanha na Copa do Mundo realizada no Uruguai onde ficaram em 3° lugar. Na primeira fase da Copa os EUA venceram a seleção da Bélgica por 3 a 0. E venceram novamente a seleção do Paraguai também por 3 a 0. Nas semifinais a seleção dos EUA perdeu fragorosamente para a seleção da Argentina por 6 a 1. A seleção da Argentina faria a decisão contra o Uruguai, sendo vice-campeã perdendo para os orientais por 4 a 2. Não houve jogo pela disputa do terceiro lugar, que coube aos Estados Unidos por ter sofrido um gol a menos. Na Copa do Uruguai o Brasil ficou em sexto lugar na colocação final.

Naquele dia 17 de agosto de 1930 o Brasil realizou uma partida medíocre e não foi derrotado por sorte. O primeiro gol brasileiro foi “um passe de príncipe e um gol de mestre”. O príncipe era Carvalho Leite e o mestre, PREGUINHO. O segundo gol, marcado por Carvalho Leite, foi fruto de um passe de Doca. O primeiro gol americano também chamou a atenção pelo estilo inusitado: “Dois furaram, um foi driblado e as redes tremeram”. Os que furaram, foram Zé Luís e Hermógenes, e o driblado foi Itália e quem fez as redes tremer foi Paternaude. O terceiro gol foi obra de Doca. Nílton dera o passe. Ainda no primeiro tempo, os norte-americanos reclamaram de uma bola que parecia ter entrado.

No segundo tempo, Teófilo marcou o quarto. Oscarino passou a Carvalho Leite pelo alto. O centroavante se chocou com o goleiro. Teófilo e Wood correram para alcançar a bola. O brasileiro foi mais ligeiro. A pressão americana passou a ser intensa. Itália cometeu uma falta. Gonsalves cobrou com um tiro rasteiro, que bateu na trave e entrou. No fim, Paternaude enviou para o fundo uma soltada de bola de Joel.

BRASIL: Joel (América); Zé Luís (São Cristóvão), Itália (Vasco da Gama), Hermógenes (América), Oscarino (Ypiranga-Niterói); Benevenuto (Flamengo), Nílton (Flamengo), Doca (São Cristóvão), Carvalho Leite (Botafogo), PREGUINHO (FLUMINENSE) e Teófilo (São Cistóvão). O atleta tricolor PREGUINHO era o “capitão” da seleção do Brasil.
Técnico: Píndaro de Carvalho

EUA: Douglas; Wood, Moorhouse, Gallagher, Gonsalves; Slone, Brown, Auld; Paternaude, Bookie e Fiore.
Técnico: Robert Miller

GOLS DA PARTIDA: Preguinho, aos 6 minutos; Carvalho Leite, aos 27 minutos; Paternaude, aos 30 minutos; Doca, aos 41 minutos do primeiro tempo. No segundo tempo, Teófilo, aos 4 minutos; Gonsalves, aos 31 minutos; Paternaude, aos 44 minutos.

Saudações Tricolores

Um comentário:

  1. José Carlos dos Santos28 de março de 2010 12:44

    Bonita história, envolvendo o nome de um ilustre atleta do Tricolor das Laranjeiras e do Brasil. Sou torcedor do Fluminense há décadas e não conhecia esse maravilhoso momento. Parabéns.

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO COMENTÁRIO! SE QUISER PARTICIPAR DE NOSSOS EVENTOS, SORTEIOS E BOLETINS, BASTA ENVIAR UM EMAIL PARA A CONTA CIDADAOFLU@GMAIL.COM