quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Ah! Bruta flor do querer

Após o comparecimento na passeata contra o presidente Horcades no dia 18 de outubro, relatei alguns fatos e conversas que presenciei ainda na concentração no Largo do Machado, entre integrantes dos grupos Ideal Tricolor, Tricolor de Coração e Flusócio, em um artigo que intitulei “Flusócio sozinha em 2010”. Pensei no título, diante de uma fala de um dos participantes da discussão. Até porque os integrantes do Ideal e da TC estavam profundamente irritados com alguns posicionamentos do “maior grupo de oposição” do Fluminense. E o que quê eu tenho a ver com isso? Apenas fiz os relatos! Como perspicácia não é crime e a censura já acabou. Abordei os fatos.

O problema é que duas ou três pessoas, não tiveram inteligência suficiente para entender o espírito do texto. Enrijeceram os bíceps, confundindo-os com o cérebro. Mas era necessário alertá-los que não se pensa por ali. É uma pena! Estranho, que cresci aprendendo que ser tricolor era sinônimo de pessoa inteligente. Porém, a gente cresce e observa que para toda regra existem exceções.

Se eu acabei desagradando algumas pessoas, sinto muito. não era esta a intenção. Mas pelo menos, parece que o texto e sua repercussão tiveram alguma utilidade. Pois inúmeras conversas e contatos aceleraram-se. Agora, analisando alguns detalhes, que não podem passar despercebidos. Algumas pessoas não deveriam perder a linha, mostrando todo o seu despreparo para lidar com questões políticas. Uma coisa é querer o bem do Fluminense. Isso todos nós queremos, até o presidente Roberto Horcades. Por mais que ele não saiba fazer isso.

Diante de alguns insultos e ofensas pessoais que sofri, parti para o contra-ataque. Deixo registrado que jamais deixarei uma tentativa de difamação sem resposta. E usarei todas as formas para fazer isto. Faço critica política, não pessoal. Se errar em algum momento e tiver que reconhecer isto, não será problema algum. Sei que têm gente por aí que não aceita isto. Quanto a isso só posso lamentar. Mas a lógica do fascismo que tenta destruir o diferente, não fará parte de nossa trajetória. E aproveitar para informar para algumas poucas pessoas que a “pena de morte” não foi instituída no Brasil.

Conversando com um bom amigo Flusócio (possuo vários no grupo) disse que não era inimigo do grupo. Muito pelo contrário! Mas não recusaria em alguns momentos em testá-los. Afinal de contas, sou um eleitor do Fluminense, tenho todo o direito de fazer isto. Estou exercendo minha “Cidadania Fluminense”. Ou alguns membros e simpatizantes do grupo do Peter passarão a imagem para mim que não tratam bem os sócios e eleitores do Fluminense??? Espero que não, pois muitos são verdadeiros “grandes fidalgos tricolores”.

Gosto do Peter Eduardo (ele é até meu xará). Peter é um bom rapaz, um cara educado, esperto, um bom tricolor. Ele pode até levar meu voto. E isso é que alguns de seus correligionários não entendem, sou muito exigente! SOU TRICOLOR!!! Pra levar esse votinho aqui, tem que rebolar muito! E me convencer é claro! Mas falta muito tempo ainda para as eleições. Até lá temos muito tempo para muitas reflexões! E muitos testes também! Tive dois bons encontros com Peter dentro do clube, onde no final tivemos ótimas conversas no mais alto nível intelectual. Agora, alguns de seus correligionários não podem achar que entrarei no coro do “é melhor porque é melhor e pronto”.

Já participei de vários churrasquinhos (mesmo sendo vegetariano) de alguns grupos políticos no Fluminense. Em outros tempos já fui “legalzinho” e “bacaninha”. Talvez por não falar o que alguns querem ouvir. Atualmente, fui acusado por duas pessoas de criar intrigas entre as oposições por aqueles que possuem uma reflexão política muito limitada. Chegaram a dizer que estaria trabalhando para desunir as oposições. Ora, se as oposições permanecerem desunidas será por suas próprias divergências e dificuldades em resolver suas questões. E não por simples textos que alguém possa escrever.

Mas criei um blog para isso, para a profunda reflexão política. Não sou grupo político! Não sou nem de oposição, nem de situação, sou tricolor! Certa vez escrevi isso num blog tricolor. E um “iniciante” na política disse que não podia escrever isso. E lhe respondi: “Não posso porque você não quer?” Sou um tricolor de arquibancada! Mas, não aqueles que dizem ser de arquibancada, mas aconchegam-se nos camarotes opulentos, recheados de canapés e salamaleques, regados a whisky. Mas daqueles que saem roucos de tanto cantar os 90 minutos.

Por isso, quando alguém tenta me atacar me chamando de “escudeiro dos piscineiros”, definitivamente, só tenho que rir, pois realmente é hilário. Em 2008, estabeleci recordes invejáveis nas piscinas. Fui assistir a 39 torneios de natação no Julio Delamare. E coincidentemente, tinham jogos do Fluminense no Maracanã, aproveitei que já estava ali e foi só mudar de um lugar para o outro. Em 2008, fui assistir torneios de natação, em Buenos Aires e Quito. E coincidentemente, mais uma vez, tinham partidas de futebol do Fluminense da Taça Libertadores da América. Em 2009, foi igual, ocorreram inúmeros torneios de natação no Julio Delamare, coincidentemente, em dias em que se realizaram todos os jogos do Fluminense no Maracanã. Como já estava ali mesmo perto, não custava nada ir lá prestigiar.

Não posso fazer nada, se hoje estou razoavelmente bem informado sobre algumas questões que ocorrem no clube. Mesmo que eu não queira, as informações acabam chegando. Tem gente que se incomoda com isso. Não é preciso! Sou cara simples de hábitos quase franciscanos. Portanto, querer me acusar de estar doido para ganhar 15 minutos de fama, só mesmo estando muito incomodado comigo ou sendo um pouco ridículo. Talvez, porque hoje eu tenha diálogo e penetração em quase todos os grupos políticos do Fluminense? Talvez por que tenha “NOME” e “SOBRENOME”. Por falar em “nome” e “sobrenome”, isto é algo que não poderão reclamar do “CIDADÃO FLUMINENSE”. Ele tem!

Para me atingir, utilizaram até a “agressa ão covarde” que sofri no Salão Nobre. Poderia esperar tudo menos isso. E ainda se dizem tricolores??? Então, vamos permitir que gritem o nome de um rival em pleno Salão Nobre e está tudo bem? Está tudo tranqüilo? Mas, fiquei estupefato em ler isto no blog do “maior grupo de oposição”. É que achei uma forma muita baixa e mesquinha, por parte de quem escreveu, de tentar me atingir.


Mas o tiro saiu pela culatra. Tenho até uma ponta de orgulho deste “lamentável episódio”, pois como diz um “grande fidalgo tricolor”: “Eu não quero saber de quem briga ou de quem bate pelo Fluminense. Eu quero saber de quem apanha pelo Fluminense. Até porque, brigar ou bater é muito fácil. Difícil é apanhar!” E que após apanhar achei uma turma que me acolheu. Só que meu detrator não sabe que a turma que mais me acolheu inicialmente (mesmo que tenha sido pela internet) foi a Flusócio. E sou grato por isso!

Mas por um lado, todos esses insultos, servem para podermos refletir sobre a índole e o caráter de algumas pessoas que dizem querer, transformar o Fluminense. Este espaço continuará desenvolvendo suas análises políticas. E deixo registrado que, tudo que vier nesta direção, em forma de insulto pessoal terá uma resposta. Entretanto, deixo um pequeno trecho da música “O Quereres”, de Caetano Veloso para aqueles que insistem em prisão no pensamento ou pensamento único, lembrando que aqui sempre será escrito o que se julgar pertinente:

“Mas a vida é real e de viés

E vê só que cilada o amor me armou

Eu te quero (e não queres) como sou

Não te quero (e não queres) como és...”

Clicando aqui é possível ouvir a música “O Quereres”, de Caetano Veloso no YouTube
:


http://www.youtube.com/watch?v=cCP3FpuEi7k


Saudações Tricolores

Um comentário:

  1. Rogério Pecegueiro30 de outubro de 2009 16:58

    Boa tarde Eduardo.

    Permita-me apenas uma leve observação sobre a sua publicação, no que diz 'E aproveitar para informar para algumas poucas pessoas que a “pena de morte” não foi instituída no Brasil.'

    A nossa Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988, diz:

    Capítulo 1: DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS

    Art. 5º

    XLVII - não haverá penas:
    a)de morte, SALVO EM CASO DE GUERRA DECLARADA, nos termos do art. 84, XIX;

    b)...

    Portanto, nos termos da nossa Constituição, a Pena de Morte está instituída, apesar de implícita sob um pretexto.

    Abraço e Saudações Tricolores!

    Rogério Pecegueiro
    super_flu100@hotmail.com
    http://idealtricolor.blogspot.com

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO COMENTÁRIO! SE QUISER PARTICIPAR DE NOSSOS EVENTOS, SORTEIOS E BOLETINS, BASTA ENVIAR UM EMAIL PARA A CONTA CIDADAOFLU@GMAIL.COM